Como você quer ser lembrado?

Todos nós estamos aqui de passagem. Todos, sem exceção, somos efêmeros. A carne deixa de existir, e o que fica no lugar é a lembrança. Muitas vezes, representada por uma imagem que nos deixa imortalizados.

Por esse motivo eu gosto de fazer caricaturas. Elas meio que nos mostram um pouco de nossa essência. São um registro do que fomos, mesmo que de apenas um momento de nossas vidas.

Costumo fazer muitas caricaturas de mim mesmo, tentando compartilhar um pouco do que sou, de tudo aquilo que vai se perder com o tempo. É como se eu criasse um quebra-cabeças onde as peças, após montadas, vão revelar um painel da pessoa que realmente fui. E como sei que a pessoa por trás de tudo isso não é interessante, espero que pelo menos as imagens ajudem a formar a memória do que sou.

Essa é a mais recente delas. Consegui registrar exatamente a maneira como gosto de ser lembrado por todo mundo.

We´re all just passing through here. Everyone, without exception, is ephemeral. The flesh ceases to exist, and what remains in place is just memories. Many times, those ones are represented by an image who leaves us immortalized.

That’s why I love making caricatures. They kinda show the essence behind ourselves. They’re a record of who we were, although they only picture a moment of our lives.

I usually do caricatures of myself, trying to share something about who I am, about everything which’ll get lost in time. It’s just like if I was creating a big puzzle where the parts, after connected, would unveil a panel of the real person I was. I know that the person behind all of this isn’t interesting, so at least I hope that those images help to build the memories about who I am.

This is the latest caricature. I framed exactly the way I like to be remembered by everyone.

Related posts:

Let´s talk about influences ...
The Comics Cafe - The History
There ... She goes.